Close

Frente a tantas novidades oferecidas para embelezar cães e gatos muitas vezes ficamos na dúvida do que realmente funciona. Para que possamos entender como cada uma das etapas do banho age é importante saber que a pele do cão assemelha-se a uma parede composta por tijolos e cimento. Os tijolos correspondem as células, já o cimento a um elemento conectivo rico em gordura que garante a integridade da pele.

Um dos maiores segredos para um banho, pasmem, é tão somente a água! Parece brincadeira, mas não é raro observamos uma oferta gigantesca de produtos que prometem hidratações extremas e muitas vezes a água, componente essencial para qualquer tentativa de banho, é esquecida.

Assim como nas pessoas, a temperatura da água não pode ser muito quente, pois nesta condição ela funciona como um poderoso desengordurante, fragilizando o “cimento” existente entre as células e  levando ao ressecamento. Principalmente em animais de pele sensível ou com tendência a alergias o ressecamento agrava muito esta condição, pois estes já possuem o “cimento” mais fraco quando comparado a animais normais, levando assim a piora dos sintomas após o banho quente.

O segundo componente importante é a escolha de um xampu ou sabonete apropriado. Cães e gatos possuem o pH da pele distinto dos seres humanos, bem como diferenças importantes na constituição da pele e pelos. Na intenção de promover uma limpeza profunda no pelame de seus bichinhos, muitos ainda usam produtos com grande potencial de limpeza o que leva a remoção importante do “cimento” e favorecendo o agrave da condição da pele.

Dessa forma devemos priorizar produtos de qualidade produzidos especialmente para cães e gatos.

O ensaboamento deve ser realizado com dedicação, atentando sempre para as áreas de dobras, e, sem exceder no vigor da massagem. No caso do uso de xampus terapêuticos é importante massagear o produto por 10 minutos para que o princípio ativo do xampu possa ter ação sobre a pele do animal. Um cuidado especial deve ser tomado no momento de ensaboar  e enxaguar as áreas próximas dos olhos e condutos auditivos.

A complementação do banho com produtos que visam hidratar a pele dos cães e gatos é interessante, principalmente quando associadas a temperatura correta da água e da secagem. Estes produtos podem ajudar a melhorar a barreira cutânea  fortalecendo o “cimento” descrito.

Outro ponto fundamental é a secagem,  ou melhor, a temperatura da secagem. Assim como a água, o uso de temperaturas muito altas pode prejudicar a pele dos nossos amiguinhos. O calor alto dos secadores, além de queimaduras, favorece o agrave de algumas dermatopatias, em especial as que coçam, pois, com o calor, ocorre a dilatação dos vasos de sangue superficiais da pele favorecendo o aumento da coceira nestes animais.

Vale lembrar que é interessante preparar o animal antes do banho, escovando o pelame com o objetivo de remover nós e o pelo solto o que facilita o trabalho e diminui o tempo de secagem.

Cuidado especial deve ser dado na aplicação de perfumes. Tal conduta visa exclusivamente a satisfação pessoal humana. Devemos considerar que os nossos pets possuem o olfato muito sensível e usam os cheiros para se relacionar. Não é raro observar em animais que convivem juntos, brigas após o banho decorrentes da alteração dos odores. Assim, se possível, evite o abuso de perfumes.

Já que somos nós quem escolhemos por nossos amigos de quatro patas, temos que nos esforçar para fazer as escolhas com um olhar mais canino/felino buscando o respeito a essência de cada espécie. 

Certamente com bom senso e informação a manutenção da higiene e saúde de seu pet será certeira e agradável.


Esp MV Cristina Sartorato
CRMV-SP 14597