Como controlar e evitar pulgas em cães e gatos

Um problema tão antigo, mas mesmo assim sempre atual e que causa muito transtorno aos pets e seus proprietários, as pulgas continuam em evidência.

Além do incomodo que a picada causa, as pulgas podem transmitir doenças aos animais e ao homem, e torna muito difícil o controle de alergias cutâneas em cães e gatos.

Muitos proprietários se negam a acreditar e a aceitar que seu animal tem pulgas, pois relacionam esta situação com falta de higiene. Assim, entender um pouco mais sobre este inseto tão inoportuno, ajuda a estabelecermos uma estratégia realmente eficaz para tratar este problema.

Uma pulga adulta pode viver até 120 dias e coloca em média 24 ovos ao dia, o que leva a concluirmos que, no final de sua vida, uma única pulga dará origem a mais de 2000 novos insetos.

O alimento da pulga adulta é o sangue e sabemos que 72 pulgas consomem 1ml de sangue ao dia, e que para cada cinco pulgas vista no animal existem outras 95 no ambiente. Assim, se considerarmos  um cão da raça Dog alemão, talvez este sangue consumido não faça tanta falta, mas um micro Yorkshire com uma infestação grande, qualquer mililitro de sangue é bem significativo. Outro ponto importante a considerarmos é que nenhuma ação contra pulgas será realmente efetiva se focar apenas o tratamento do animal e não considerar o tratamento ambiental.

A pulga passa por 4 fases de desenvolvimento: ovo, larva, pupa e adulto. A fase mais resistente é a fase da pupa que é o estágio que a larva tece um casulo de fios viscosos favorecendo sua aderência no meio ambiente. Nesta condição ela  não precisa se alimentar podendo permanecer por 3 a 140 dias, se aloja em locais bem profundos de frestas e carpetes, não sendo removida nem mesmo com aspiradores de pó. Ela só sairá do casulo quando perceber que encontrará alguém para se alimentar. Uma vez que a pulga adulta subiu no animal ela não desce mais, pois caso contrário ela morre em 24 a 48 horas.

No animal ela coloca ovos que caem no ambiente, isso acontece preferencialmente á noite o que torna o local aonde o animal dorme o principal ponto a ser trabalhado no controle da pulga. Essa preferência noturna faz com que animais que circulem a noite como gatos, sejam ótimos disseminadores a outros animais.

Também é importante saber que a pulga não suporta unidade que quando presente mata mais de 80% das larvas, assim, pasmem, a água é um dos principais elementos a ser considerado no controle deste inseto.

Entretanto, para se obter sucesso no controle deste agente deve-se instituir a integração de ações  que considere o tratamento do local aonde o animal dorme, a limpeza mecânica do ambiente removendo a possível sujidade existente, o uso de agentes físicos como o calor (vapor) e água SEMPRE que possível, o controle químico com o uso de inseticidas ambientais e antipulgas em todos os animais da casa, e o mais importante, a conscientização de que uma infestação de pulgas não é resolvida apenas com uma opção de tratamento.

Dra. Cristina Sartorato

CRMV SP 14597

Dermatologia animal

Metazooa clínica veterinária

(11) 37272674

 

Comments are closed.